AB InBev com a SABMiller?
BE AB Inbev SAB Miller

AB InBev vem passando por uma série de fusões e aquisições em sua história, desde a primeira quando Jorge Paulo Lemann e seu time comprou a Antartica e fundiu-a com Brahma para criar o que foi chamado na época de Ambev.

As suas últimas aquisições foram o ícone americano, a cervejaria Anheuser Bush em 2008 e a cervejaria mexicana Grupo Modelo, em 2013, tornando a empresa ainda maior, representando cerca de 20% dos volumes de cerveja de todo o mundo no ano passado.

Este ano, as especulações crescem ao redor do grupo novamente. Desta vez, o mercado diz que a AB InBev está alinhando uma oferta para comprar um dos seus principais rivais e a segunda cervejaria em vendas do mundo, a SABMiller, que daria ao grupo uma grande participação nos mercados africanos e uma maior presença no cenário sul-americano, criando um gigante com cerca de um terço do volume de cerveja globais.

Mas este negócio não seria barato: especialistas calculam que o negócio chegaria a cerca de US $ 182 bilhões!

E não seria assim tão simples: questões antitruste poderia obrigar AB InBev à vender as parcerias da SABMiller nos mercado americanos e chineses.

E dois acordos com os gigantes de refrigerantes pode dar muita dor de cabeça: enquanto SABMiller tem um acordo com a Coca-Cola na América Latina, AB InBev tem algum acordo similar com a PepsiCo na mesma região.

Mas se esta fusão realmente acontecesse, ela impulsionaria as vendas do grupo em torno de 50%!

O acordo daria à AB Inbev uma grande oportunidade para entrar na África: Enquanto AB Inbev não tem presença significativa na região, SABMiller domina o continente, com operações espalhadas por 15 países, com mais de 21 países abrangidos pela sua estrutura de distribuição.

A nova empresa seria ainda mais forte na América Latina. Ab InBev já domina a maioria dos maiores mercados, como Brasil, México e Argentina, sendo responsável por mais de metade do volume de cerveja nesses países. A aquisição da SAB Miller melhoraria a presença da empresa em países emergentes como Colômbia e Peru, com mais receitas, devido aos melhores preços unitários. A combinação não só forneceria volumes incrementais, mas também aumentaria a perspectiva de crescimento rápido da empresa na região que concentra quase 40% da capacidade de produção da AB InBev e é a região mais lucrativa da cervejaria.

E a aquisição poderia aumentar ainda mais Margens para AB InBev por causa das marcas premium da nova sociedade que assumiriam uma posição importante em um mercado em rápido crescimento.

É claro que precisamos de falar sobre os benefícios de sinergia que poderia reduzir custos de estratosféricamente!

Apenas como comparação, AB InBev espera reduzir os custos em pelo menos USD1bilhao até o final de 2016, com a fusão com a Anheuser Bush.

Imagine o que eles poderiam fazer com SABMiller ?!

Vamos esperar para ver os próximos capítulos desta série da vida real!

0
commentaire:
Notícias

Totally Beer - contato@totallybeer.com.br -