Viagem Sul da Alemanha – Parte 02

(Se você perdeu a primeira parte de nossa viagem, clique aqui)

Após uma bela noite de sono, acordamos cedo para seguir com a nossa saga e visitamos mais uma cervejaria. Mas a viagem de 45 minutos foi mais complicada do que esperávamos.

Ao chegarmos no estacionamento, nosso carro estava coberto de neve! No teto tinha uma camada de aproximadamente 30 centímetros!

Meia hora depois, sem sentir a ponta dos meus dedos, partimos para a cidade de Irsee, para visitar a cervejaria Klosterbrau.

Como seguia nevando, nossa velocidade não passou dos 30 km/h. Mas toda esta dificuldade valeu a pena!

O prédio principal da cervejaria fica ao lado do prédio do hotel/restaurante. Ambos são muito bonitos, o pessoal muito simpático e a comida muito saborosa.

Ao chegarmos descobrimos que não é possível fazer visitas à cervejaria sem uma prévia reserva. Basta ligar com antecedência que eles programarão um guia para o seu grupo. Se você estiver sozinho ou com mais um ou dois amigos, você dependerá da sorte, já que eles terão que te colocar em um grupo maior.

Já o museu da cervejaria fica aberto todos os dias da semana e a entrada é livre. Vale muito a pena visitar o museu porque a historia desta cervejaria é bem longa, já que esta cerveja era produzida dentro do monastério que foi erguido em 1182.

As cervejas são sensacionais. Eles tem uma das melhores Dunkel que eu já tomei na minha vida e uma Weizen que mudará o que você pensa da Paulaner ou da Erdinger!

O restaurante dentro do hotel é maravilhoso. O prédio do mosteiro foi transformado em um hotel e o espaço central do primeiro piso recebe o restaurante.

A comida é muito saborosa, típica da região e harmoniza perfeitamente com as cervejas locais. O grande destaque foi a sopa de cebola e cerveja, que aquece todos em dias frios como o que passamos por lá!

No dia seguinte seguimos na direção de Munique para visitar uma das cervejarias mais tradicionais quando falamos de cerveja de trigo: Schneider Weisse. 

O caminho em si já é uma experiência única. Praticamente todo o caminho entre Munique e Kelheim é coberto por plantações de lúpulo. No verão, esta estrada é especial, já que você poderá apreciar as plantações essenciais para a produção da cerveja local.

Esta cervejaria é maior que as outras que mencionamos. A produção é muito maior e a distribuição é feita em larga escala. Mas isto não tira a origem artesanal da cervejaria.

Em 1972, o rei Ludwig II parou de produzir cerveja de trigo na Bavária devido ao declínio das vendas. O povo estava migrando boa parte do consumo para uma nova cerveja criada logo ao lado, na República Checa, chamada Pilsner.

Com uma visão para o negócio, George Schneider I comprou o direito de produzir a cerveja de trigo e a salvou da extinção! Visitas guiadas são possíveis toda terça e quinta.

As visitas são feitas em alemão, mas você recebera um aparelho de mp3 com tudo explicado em inglês. Na visita você conhecerá a historia da cervejaria em detalhes, visitará a área produtiva e se a área de envase estiver funcionando, você poderá envasar a sua própria cerveja!

No final você ainda tem a oportunidade de degustar todas as cervejas em um restaurante típico dentro do hotel que a cervejaria tem no complexo.

A cervejaria preza muito a tradição e a região onde se estabeleceu.

Todas as cervejas seguem a lei de Pureza Alemã, Reinheitsgebot. Para quem não conhece, isto significa que eles utilizam somente agua, malte e lúpulo na cerveja. E a grande maioria da sua matéria prima vem de produtores locais.

A linha de produtos impressiona, especialmente para os que pensam que cerveja de trigo é somente a típica Weizen muito famosa no mundo pela difusão da Paulaner e Erdinger. A cervejaria conta com cervejas muito complexas como a Aventinus, uma Doppel Weizenbock, que ainda pode ser degustada em uma edição especial envelhecida em barril de carvalho!

Outro destaque é a Meine Hopfenweisse, uma cerveja de trigo que utiliza o lúpulo típico das IPA’s americanas, o Cascade, para dar um toque cítrico em uma receita tradicional.

(Se você quiser ter mais detalhes das cervejas da Schneider Weisse, clique aqui)

Uma cervejaria que vale muito a pena conhecer em detalhe para apreciar um pouco da historia da região, porque a historia da cervejaria se mistura com os fatos importantes da produção de cerveja na Bavária.

Uma ótima opção para os amantes de cerveja!

0
commentaire:

Totally Beer - contato@totallybeer.com.br -